Precisamos falar sobre “cultura do estupro”

download (1)

Imagem da internet

Todos já devem saber do polêmico caso de estupro coletivo ocorrido esta semana no Rio de Janeiro. Não vou comentar o caso, primeiro por que é muito recente e ainda está acontecendo, investigações estão sendo feitas e cada dia surge algo diferente. Depois, o assunto que quero tratar aqui é outro. O fato é que muitos se aproveitaram do problema para propagar ideologias que vão de encontro ao cristianismo. E muitos cristãos estão divulgando isso, talvez sem conhecimento algum do que esteja fazendo.

Que o estupro é um problema e precisa ser denunciado, é uma verdade. Que os criminosos precisam ser encontrados e punidos, outra verdade. Que as vítimas do estupro precisam ser amparadas e cuidadas, mais verdade ainda. Mas o que precisamos entender é que não existe essa “cultura do estupro” no Brasil, que muitas católicas estão dizendo ser contra.

Ah, mas como assim?

Gente, dizer que todo homem é um potencial estuprador; e que estupradores são filhos do patriarcado; que só estupram por que aprenderam… Você não concorda que isso é muito anti-cristão? Será que não é julgar? Será que não estamos culpando os homens do mundo pelo mal que fazem um grupo? Será que não estamos culpando inclusive, os pais, irmãos, filhos, tios de nossas famílias?

É verdade, muitos estupros acontecem em casa, por pessoas da família. Mas isso não é culpa somente dos homens; mulheres também estupram. E mesmo que aconteça por homens em sua maioria, não se pode generalizar. As vítimas do estupro não são só mulheres. São homens também, são crianças de ambos os sexos, são idosos, são deficientes físicos e mentais, de ambos os sexos. Viu?

Em países do oriente pode-se falar em cultura do estupro. Em muitos deles há até leis que permitem isso. Mas não é o caso do Brasil. Aqui, estupro é crime. Dizer que há uma cultura do estupro, é dizer que a nossa cultura apóia uma prática horrenda e isso não é verdade. Nem os bandidos de nossa sociedade apoiam isso. Que dirá as pessoas de família.

O que acontece em nosso país, é que o alto índice de estupros é marcado principalmente, pelo alto índice de impunidade. O criminoso sabe que não será pego, e que se for, passará pouco tempo na cadeia. Ou seja, sairá praticamente impune.

Vi textos nas redes sociais dizendo que a causa dos estupros é família patriarcal. Gente, onde vamos parar? Vamos estudar mais?

Me parece que o feminismo criou mais um termo para nos fazer acreditar que sua ideologia é verdadeira. Mas você, mulher católica, não pode difundir a ideologia feminista nem o que ela prega. Você não precisa ser feminista para saber que estupro é errado e que quando acontece deve ser denunciado e amplamente punido.

Antes de postar, divulgar, curtir e compartilhar alguma coisa, pesquise. Mas não pesquise apenas em sites de esquerda. Procure o outro lado, procure sites católicos, e se não encontrar, procure um padre e converse.

Não seja massa de manobra. Cultura do estupro não existe no Brasil. A família cristã não apoia o estupro.

 Você não luta contra a ‘cultura do estupro’ colocando um Twibbon na sua foto de perfil, tampouco organizando um gritaço. Estuprador nenhum vai se comover com uma campanha anti-violência sexual, porque ele é um maníaco, e muito provavelmente está na rua ou num bar neste momento e não na Internet. Se você quer realmente o fim da violência sexual, defenda punições rigorosas para esses criminosos, fim da maioridade penal e porte de armas.O Retrógrado (link abaixo)

Quer saber mais?

O Retrógrado

Mulheres contra o feminismo

Canção Nova

Crítica Nacional

Padre Paulo Ricardo

Anúncios
Esse post foi publicado em família. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Precisamos falar sobre “cultura do estupro”

  1. josiane disse:

    parabéns…não tinha pensado desta forma sua pauta foi muito esclarecedora pra mim e me abriu os olhos.

    Curtir

  2. Kenia Fernandes disse:

    Um cristão defendendo porte de armas…o que foi feito de João XXIII, de Madre Teresa, de D. Helder, de São Francisco de Assis. Vejo posições tão violentas dos cristãos, tão distantes da Igreja em que fui criada nos anos 80, que sinto que vou desistir de fazer parte da comunidade. Os católicos estão parecendo pentecostais. Se fosse pra ser pentecostal me converteria a uma das duzentas denominações deles.

    Curtir

    • Olá Kenia, boa tarde! Obrigada pelo seu comentário. Não desista da igreja, ela é a única criada por Jesus Cristo, você não está nela por acaso.

      Recomendo que veja o vídeo do Padre Paulo Ricardo sobre o desarmamento. https://padrepauloricardo.org/episodios/a-igreja-e-o-desarmamento

      Eu não gosto de armas, não acho que a população deva ter liberdade pra sair comprando armas como compra comida. Mas mudei um pouco meu modo de pensar depois de ver a opinião da igreja nesse vídeo.

      Mais uma vez, só na Igreja Católica você tem a eucaristia. E somente isso já é motivo mais que suficiente para que você não mude de caminho.

      Um abraço.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s