Um recado às mães (e pais) sem tempo

Revista Crescer

Revista Crescer

Você se lembra como era atitude dos seus pais na sua infância? Eles trabalhavam? Sua mãe ficava em casa? Eles tinham tempo pra você? Não consegue lembrar?

Então pensa, com quem você brincava quando era criança? Sempre que você recorda os momentos felizes da sua vida infantil, quem estava lá? Seus pais? Seus avós? A babá? E os momentos ruins, quem estava lá?

Agora imagine seu filho. O que você espera que ele se lembre quando for mais velho? Quais momentos você proporciona a ele hoje e que serão relembrados por ele? Serão lembranças boas ou ruins? Você está nos momentos bons? Você está presente na vida do seu filho?

Eu sei que algumas mães e pais são sobrecarregados de trabalho para terem condições de dar o mínimo de bem estar ao filho. Mas as vezes, nos sobrecarregamos de propósito, por que “achamos” que devemos dar o máximo no trabalho, esquecendo que a nossa família é o que realmente importa e onde também devemos dar o máximo.

Se você tem a chance de trabalhar menos e ficar mais com seus filhos, não pense duas vezes. Faça as contas do que ganha e veja se esse preço realmente vale você estar longe, perdendo o desenvolvimento do seu filho, as primeiras palavras, os primeiros passos, as primeiras alegrias. Não estou dizendo que você deve deixar o emprego, estou dizendo que deve avaliar se o tempo que você tem com seu filho está contribuindo para fazer dele uma pessoa mais feliz e melhor para o mundo e para Deus.

Até engravidar eu trabalhava oito horas e morava há duas horas de distância do trabalho. Eram quase 12 horas fora de casa durante o dia. Quando meu filho nasceu, eu e meu marido chegamos a conclusão de que não teria ninguém melhor do que nós dois para cuidar dele. Então passei a trabalhar um horário só, e nos mudamos para mais perto do meu trabalho. Tive uma redução no salário que no início trouxe alguma dificuldade. Mas tenho certeza de que ganhamos muito mais em qualidade de vida em família. Nos revezamos nos cuidados com o bebê e assim não precisamos de babá ou creche.

É fácil? Não, de jeito nenhum. Além do nosso trabalho, temos muito trabalho com a casa e com nosso filho. Mas é gratificante. Muita gente não tem essa possibilidade de escolha. E muita gente tem mas acha que alguns reais a mais no bolso valem o sacrifício.

Não se culpe se você realmente precisa trabalhar o dia todo e precisa deixar o seu filho numa creche. Mas tenha certeza de que está fazendo a coisa certa. Muitos homens e mulheres deixaram o emprego para cuidar dos filhos e encontraram outras fontes de renda (seja cozinhando, fazendo artesanato ou vendendo produtos de beleza). O importante é que sua família e o bem estar dela venha em primeiro lugar.

Depois, os filhos crescem, os momentos passam, e ficam apenas lembranças, que podem ser boas ou ruins, muitas ou nenhuma. Tudo depende do que você fizer hoje.

Um abraço fraterno e até a próxima!

Anúncios
Esse post foi publicado em família. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Um recado às mães (e pais) sem tempo

  1. Pingback: Um recado às mães (e pais) sem tempo – Mude Seu Estilo de Viver

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s